domingo

minha água


tens uma força que não encontro em lugar algum
fascina-me
por vezes espelho
por vezes reflexo
mergulho em ti como quem busca
a claridade, a pureza cristalina
seduzida pela maciez da água
água a me cobrir a envolver-me
solto-me em sua água
só assim existo, admito-me
no meu silêncio triste
que insiste em não adormecer
no desejo de em você para sempre
permanecer
minha paixão amorosa
água, água minha
expressão de meu inevitável medo de perder-te.
Fotógrafo Zapotepeti

9 comentários:

  1. Bebem-se palavras neste belo Varandá onde a qualidade nos encanta.
    … no que se escreve e no que se vê.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Della. Faz tempo que não vinha e eu é que perdi. :)
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. ... um belo poema à água, que num tempo recente se descobre(?!) o quanta falta ela nos faz, agora e... num futuro bem próximo.

    Uma óptima sugestão para uma paixão para dempre.

    ResponderExcluir
  4. penso que aqui nunca tinha vindo.
    cristalino...
    gostei

    beijo

    ResponderExcluir
  5. Minha querida Della...

    que saudade!!

    sempre belas estas tuas palavras e a música envolvente que sempre por aqui se encontra.


    O abraço amigo

    ResponderExcluir
  6. meu inevitável medo de perder-te...

    este poema tocou-me muito, até por razões que não posso expressar publicamente. Gostei MUITO!!!

    ResponderExcluir
  7. 7 Dias

    7 Imagens

    7 Palavras

    7 Emoções

    7 Sentires

    7 Paixões

    7 Contradições

    Espero-te em metamorfoses 7

    Um beijo de sentir em 7

    ResponderExcluir
  8. Olá, foi por acaso que aqui cheguei.
    Adorei!!!!!!!!!
    Beijinhos,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  9. vim ouvir a música delíciosa que por aqui ciranda....

    ...como não?



    beijos querida Della e tenha uma noite tranquila

    ResponderExcluir